Plmx Park

Motocross, Velocross, Oficina e Bar.
Aberto de segunda a sábado, das 9h as 18h

Paris Supercross

Paris Supercross

Eli Tomac domina as duas noites da competição

Eli Tomac dominou.


Gate da categoria SX1

O norte-americano Eli Tomac não deu chances aos adversários e conquistou de forma invicta, neste fim de semana, a coroa do Supercross de Paris-Lille. Em sua 32ª edição, a prova francesa deixou o tradicional palco em Bercy para ser disputada no estádio Pierre Mauroy, em Lille, onde mais de 40 mil espectadores prestigiaram o evento.


Eli Tomac

O novo local permitiu a construção de uma pista de proporções mais generosas, onde foram realizadas as provas das categorias SX1 e SX2. Na classe principal, Tomac venceu as quatro baterias mostrando ótima forma. Nem mesmo os compatriotas Justin Barcia e Malcolm Stewart, segundo e terceiro colocados, foram capazes de ameaçar o reinado do piloto do Team Geico Honda.


Justin Barcia

Do lado europeu, o francês Christophe Poucel começou bem a competição com o segundo lugar na primeira bateria, mas nas demais o seu desempenho ficou muito abaixo do apresentado na prova de abertura e os norte-americanos continuaram dominando as primeiras posições. Dylan Ferrandis também alternou altos e baixos, então, ao final, quem fez as honras da casa foi Fabien Izoird que foi bastante regular em todas as baterias e terminou com a quarta posição geral.


O estádio Pierre Mauroy, sede da prova

Na SX2, o francês Maxime Desprey também foi imbatível e faturou as quatro corridas. Na primeira prova, Desprey teve o britânico Ben Watson como principal concorrente, mas nas demais Thomas Do, outro piloto local, foi o segundo colocado e garantiu a posição no pódio. Watson ainda terminou o fim de semana com a terceira colocação.


Pódio da categoria SX2

Monster CUP

Trey Canard e Davi Millsaps brilham na Monster Cup 2014

millsaps

 

Foi mais uma noite inesquecível para os amantes do supercross. A Monster Energy Cup 2014, quarta edição do evento, apresentou outro espetáculo dentro e fora das pistas, com boas corridas, show de luzes, fogos, freestyle, música e adrenalina. Trey Canard venceu duas baterias e Davi Millsaps, estreando pela Kawasaki, ganhou a outra. Na soma das três corridas, Millsaps levou a melhor e garantiu o prêmio de 100 mil dólares (se Canard tivesse vencido também a terceira, ganharia um milhão de dólares).

Canard esteve muito próximo de vencer as três baterias. Depois de ganhar as duas primeiras, brigava pela liderança da terceira prova quando caiu. Durante sua tentativa de recuperação, caiu outra vez e acabou a última corrida da noite em oitavo, o que o jogou para terceiro na classificação final do evento.

A grande ausência da noite foi de James “Bubba” Stewart. Campeão da MEC em 2013, Bubba apareceu no Sam Boyd Stadium, em Las Vegas, com a placa de número #1 em sua moto, mas ficou fora das corridas por causa da suspensão imposta pela FIM – Federação Internacional de Motociclismo – em decorrência do seu caso de doping durante o AMA Supercross – relembre aqui.

Ken Roczen também ficou fora das disputas. Havia esperanças que o alemão fizesse sua estreia pela RCH Suzuki em Las Vegas, mas ele estava do outro lado do país, participando de uma feira (AIMExpo) em Orlando, na Flórida, divulgando a nova GoPro Hero 4.

Por outro lado, alguns pilotos fizeram suas primeiras aparições em competições oficiais nos Estados Unidos nesta noite. Foram os casos de Blake Baggett pela Yoshimura Suzuki, Zach Osborne e Jason Anderson pela Husqvarna, Justin Hill e Dean Wilson pela KTM, e Justin Barcia pela Yamaha.

Nas categorias “amadoras”, Mitchel Falk, da KTM, ganhou as duas baterias da Super Mini (classe que o brasileiro Enzo Lopes foi convidado a participar), enquanto Aaron Plessinger, da Yamaha, faturou as duas corridas da classe Amateur All Star (motos de 250cc), e Preston Masclangelo ganhou a corrida de 50cc da KTM. Veja os resultados mais abaixo!

 


Red Bull Straight Rhythm 2014

Resultados, fotos, informações sobre tudo o que aconteceu no sábado, 4

James Stewart - Action

O inovador Red Bull Straight Rhythm saiu do papel para entrar para a história no último sábado, 4, em Pomona, na Califórnia. Uma espécie de supercross em linha reta, sem curvas, inaugurou algo como um “arrancadão” do SX. A pista tinha 800 metros de extensão e 80 saltos. Os vencedores foram James “Bubba” Stewart na categoria Open, e Marvin Musquin na classe das 250.

Como num “arrancadão”, as disputas eram piloto contra piloto em formato eliminatório melhor de três corridas. Para avançar, um piloto deveria ganhar do outro pelo menos duas vezes em uma série de três arrancadas.

Entre tantas disputas, algumas chamaram a atenção, como a Josh Hansen X Travis Pastrana e sua RM-Zilla dois-tempos 500cc (com vitória de Hansen), ou Dean Wilson e sua nova KTM versus o veterano Grant Langston, ou ainda a batalha entre os irmãos James Stewart e Malcolm Stewart na semifinal. Por fim, a final da classe Open aconteceu entre Bubba e Justin Brayton, que estreou pela equipe BTO KTM. Vitória de Bubba por 2 a 0.

A batalha entre Hansen e Pastrana foi uma das mais emocionantes. Depois de Hansen ganhar a primeira corrida, Pastrana venceu a segunda largada e mandou um BACKFLIP na última rampa para comemorar! Depois, na terceira e decisiva corrida, acabou perdendo.

– Não tenho mais o tempo, a técnica e a velocidade de antes, mas foi muito divertido entrar na pista e ser competitivo. Foi uma grande experiência voltar à moto, numa dois-tempo, e pilotar pela primeira vez uma 50cc. Foi maravilhoso – disse Pastrana.

Na semifinal, se a batalha entre irmãos chamou a atenção de um lado, do outro o duelo de estreantes pela KTM levantou o público. Dean Wilson e Justin Brayton travaram uma bela batalha.

Muito rápido nas costelas, Brayton levou a melhor depois de perder a primeira corrida e ganhar as duas últimas para ir à final contra JS7. Na decisão, Bubba confirmou o favoritismo e manteve os 100% para ficar com o troféu. O piloto da Yoshimura Suzuki ganhou todas as batalhas do dia!

– Foi muito mais difícil do que eu imaginava. Ao longo do dia, os caras foram muito rápidos. Tinha algumas seções que eu achava que não conseguiria fazer, mas de alguma maneira eu fiz. Mal posso esperar para ver isso na TV – disse Bubba.

:: Resultados da Open
straight-rhythm-open-results

Musquin comanda categoria 250

  A 250 foi amplamente dominada pelos grandes times – Red Bull KTM, Geico Honda e TLD KTM -, com destaque para Marvin Musquin, que acabou campeão ao final do evento após mostrar uma excelente adaptação ao estilo de competição. Ele fez a final contra seu novo companheiro de time, Justin Hill que, nos treinos, chegou a fazer melhores tempos que o francês em algumas ocasiões. Na final, porém, foi Musquin o dominador mais uma vez, ganhando as duas corridas para celebrar no fim com um heelclicker, o que já é uma marca sua. Confira os resultados da 250! straight-rhythm-250-results

BRMX 2014 – Campano e Paulo Alberto vencem em Paty do Alferes, Rio de Janeiro

carlito_mauhaas

O dia amanheceu chuvoso em Paty do Alferes, Rio de Janeiro, para a sexta etapa do Brasileiro de Motocross 2014. Treinos de warm-up rolaram logo cedo, com a pista pesada por causa da chuva que caiu na madrugada, e as provas iniciaram às  10h40, ainda com a pista bem enlameada. O público compareceu e lotou o entorno da pista.

>>> Resumo e resultados de sábado da MX3
>>> Resumo e resultados de sábado da MX2

Além de querer conhecer o vencedor da rodada, a expectativa girava em torno do desempenho do norte-americano Blake Wharton, recém-chegado ao Brasil para competir pela Honda Mobil. Mas quem roubou a cena foi Carlos Campano, que venceu as duas baterias da MX1 com um belo desempenho. O americano fez 6-5 nas baterias e admitiu ao final que o nível dos adversários e da pista estava bastante alto, e que o cansaço o pegou depois de longo período afastado das corridas de motocross por causa de uma lesão no joelho.

Outro ponto alto do domingo foi a disputa entre Paulo Alberto e Thales Vilardi na MX2, principalmente na segunda bateria, quando os dois brigaram pela primeira posição durante aproximadamente 20min. Paulo Alberto, que fez uma primeira bateria espetacular após cair na largada, levou a melhor na soma dos resultados (1-2) e ficou com o lugar mais alto do pódio. Thales Vilardi ganhou a segunda bateria e manteve a liderança do campeonato, mas a diferença que era de 14 pontos caiu para apenas dois tentos.

A sétima e penúltima etapa do Brasileiro de Motocross acontece nos dias 11 e 12 e outubro, em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Resumo das corridas

MX1

pcampano_paty_mauhaas

1ª bateria – Carlos Campano vence no barro
Após a primeira curva, Jetro Salazar saiu na frente, seguido de Campano, Adam Chatfield, Wellington Garcia, Rafael Faria, Jean Ramos e Balbi Junior. O norte-americano Blake Wharton largou mal e teve desempenho abaixo do esperado, terminando a corrida na sexta colocação.

Jean Ramos conseguiu diversas posições nas primeiras voltas e encostou em Carlos Campano, segundo colocado. Jetro liderava com boa vantagem, enquanto mais atrás brigavam Chatfield, Balbi Junior e Wharton. Rafael Faria abandonou nas primeiras voltas, com o ombro deslocado.

Com 10min de corrida, Jetro e Campano tinham aberto grande vantagem para os demais. Jean, em terceiro, esteve perto de ultrapassar Campano, mas o espanhol reagiu e conseguiu se aproximar de Salazar, deixando o brasileiro para trás.

Mais tarde, Campano encostou em Jetro para fazer a ultrapassagem aos 15min de corrida. Daí em diante, a corrida se manteve nestas posições. A briga mais interessante aconteceu entre Balbi e Chatfield pela quarta colocação.

Resultado da 1ª bateria
mx1provapaty

2ª bateria – Campano larga na frente e vence após polêmica

carlos_mauhaas

Carlos Campano largou na frente na segunda bateria, seguido de perto por Balbi Junior. Mais atrás, Blake Wharton ocupava a terceira colocação, com Jetro Salazar muito próximo. A primeira disputa da prova foi entre Wharton e Salazar. Duelaram durante aproximadamente 15min, até Salazar superar o norte-americano. Entretanto, enquanto os dois brigavam, Jean Ramos se aproximou do pelotão e, mais tarde, aos 23min, conseguiu a ultrapassagem em Salazar. Jean Ramos girava rápido, fazendo inclusive a volta mais veloz na segunda parte da corrida.

Campano liderava com vantagem tranquila sobre Balbi, que também estava seguro na segunda colocação. Na última volta, a polêmica. Logo após cruzar a linha de chegada em primeiro, Campano foi penalizado em 30seg pela direção de prova porque teria saltado em uma rampa com bandeira amarela. Mais tarde, após analisar as imagens da corrida, a direção de prova voltou atrás e tirou a punição ao espanhol, mantendo o resultado da pista.

– Há dois tipo de bandeira amarela. Se a bandeira está sendo agitada pelo “bandeirinha”, o piloto está proibido de saltar e de ultrapassar. Se ela está apenas parada, o piloto deve ter cuidado, mas pode saltar. O diretor de prova puniu na hora porque achou que a bandeira tivesse sido agitada, mas depois, analisando as imagens, vimos que estava apenas parada. A punição era injusta – explicou Edmilson Rodrigues, membro do juri da CBM.

– Tinha um retardatário na minha frente no último salto antes da chegada. Ele freou na minha frente, acho que não queria dar mais uma volta, e saiu da pista. O cara (bandeirinha) foi pegar a bandeira, mas eu já estava na rampa. Freei o que pude e saltei bem pouco, só uns três metros em uma rampa de 15 metros. Me puniram, mas depois viram no vídeo que eu não tinha feito nada errado – afirma Carlos Campano.

Vídeos e resultados da última etapa do AMA Motocross 2014

ken_roczen_utah_national_450_moto_1_crosland-8398_1280

Soma das baterias
1. Trey Canard (1-1)
2. Ryan Dungey (2-2)
3. Eli Tomac (4-3)
4. Ken Roczen (3-4) – CAMPEÃO
5. Brett Metcalfe (7-5)
6. Ryan Sipes (9-6)
7. Andrew Short (6-12)
8. Fredrik Noren (10-9)
9. Weston Peick (13-7)
10. Justin Brayton (12-8)

2ª bateria
1. Trey Canard
2. Ryan Dungey
3. Eli Tomac
4. Ken Roczen
5. Brett Metcalfe
6. Ryan Sipes
7. Weston Peick
8. Justin Brayton
9. Fredrik Noren
10. Mitchell Oldenburg
11. Ben LaMay
12. Andrew Short
13. Killy Rusk
14. Noah McConahy
15. Jimmy Albertson
16. Ronnie Stewart
17. Tony Archer
18. Broc Schmelyun
19. Franklin Noguera
20. Adam Enticknap

:: Primeira bateria 450

trey_canard_press_day_utah_rice_9903_1280

Resultado
1. Trey Canard
2. Ryan Dungey
3. Ken Roczen
4. Eli Tomac
5. Josh Grant
6. Andrew Short
7. Brett Metcalfe
8. Chad Reed
9. Ryan Sipes
10. Fredrik Noren
11. Ben LaMay
12. Justin Brayton
13. Weston Peick
14. Jimmy Albertson
15. Paul Coates
16. Colton Facciotti
17. Sean Hackley, Jr.
18. Chris Proscelle
19. Ronnie Stewart
20. Tony Archer

Melhores momentos

Cairoli e Max Anstie dominam areia de Lommel e vencem 15ª etapa do Mundial de Motocross 2014

91563_Cairoli_MXGP_2014_R15_RX_2789_1024

Antonio Cairoli mais uma vez mostrou sua superioridade na areia e comandou as ações na arenosa pista de Lommel, na Bélgica. A 15ª etapa do Mundial de Motocross 2014 também viu um novo vencedor na MX2. Max Anstie faturou a rodada vencendo uma bateria e ficando em segundo na outra, vencida por Jordi Tixier.

Melhores momentos

MXGP + MX2

 

Ryan Dungey e Marvin Musquin vencem etapa de Washougal


A KTM conquistou duas duplas vitórias na nona etapa do Lucas Oil AMA Motocross em Washougal. Ryan Dungey faturou as duas provas na categoria 450 e recuperou de uma vez só 10 pontos sobre o ríval na disputa pelo título Ken Roczen, terceiro em ambas as corridas. Eli Tomac ficou em segundo também nas duas provas.

Na classe 250 o francês Marvin Musquin venceu pela primeira vez no ano, chegando na frente nas duas baterias. Blake Baggett foi o segundo na geral (5-2) e o terceiro lugar do pódio sobrou para Jeremy Martin (4-4) que prossegue para as três etapas finais com vantagem superior a 40 pontos sobre Cooper Webb no campeonato.

Video

x
:: 1ª bateria da 450

:: 1ª bateria da 250

 

:: 2ª bateria da 250

 

 

Red Bull X-Fighters 2014 – 4ª etapa – Munique – Alemanha

Josh Sheehan vence etapa e disputa pelo título segue apertada para a final
Fotos: Sebastian Marko, Andreas Langreiter, Daniel Grund, Armin Walcher, Flo Hagena


O lago olímpico de Munique, na Alemanha, foi palco da quarta e penúltima etapa do Red Bull X-Fighters 2014. Um inédito e incrível circuito flutuante foi construído para a realização do evento que reuniu cerca de 18 mil fãs às margens do lago.

A cada etapa que passa o sarrafo sobe um pouquinho mais alto, exigindo dos pilotos um nível de técnica e precisão cada vez mais apurado. Lembrando que os atletas não podem deixar de lado o arrojo e a criatividade na execução das manobras.


Josh Sheehan


Nesta etapa o atual campeão viu suas chances de renovar o título praticamente anuladas. Thomas Pagés errou um de seus giros patenteados no quarter pipe e com a moto danificada perdeu a chance de avançar na etapa.

O jovem piloto da casa Luc Ackermann, de apenas 17 anos, aproveitou a oportunidade para chegar à semi-final. Com o apoio da torcida fez uma bela apresentação contra o experiente Taka Higashino, mas o japonês fez uma volta mais limpa e consistente, incluindo o California Roll, que lhe garantiu pontos para ir à final.


Taka Higashino


A outra semi-final teve um duelo da Oceania. O neozelandês Levi Sherwood contra o australiano Josh Sheehan. Sherwood, também conhecido como garoto elástico, fez mais uma de suas apresentações beirando a perfeição, com extensões que só ele consegue alcançar. Porém Sheehan vem a cada etapa empurrando os limites para ainda mais longe. Com um Flair e um Double Backflip garantiu o voto dos jurados para avançar à final.


Levi Sherwood


Na final entre Higashino e Sheehan ambos mostraram o que de melhor tinham em seus repertórios de manobras, mas outra vez o giro duplo do australiano fez a diferença na pontuação. Com a vitória, Sheehan se aproxima de Sherwood na classificação geral, a apenas cinco pontos. Na prática isso é quase um empate. Quem chegar na frente na grande final na África do Sul, dia 23 de agosto, fatura o título da temporada.


Assista ao vídeo do evento na MotoX TV


Resultados Munique

1. Josh Sheehan (AUS)
2. Taka Higashino (JPN)
3. Levi Sherwood (NZL)
4. Luc Ackermann (GER)
5. Thomas Pagès (FRA)
6. Dany Torres (ESP)
7. Rob Adelberg (AUS)
8. Clinton Moore (AUS)
9. Adam Jones (USA)
10. Rémi Bizouard (FRA)
11. Brody Wilson (USA)  

Eli Tomac vence as duas baterias da oitava etapa do AMA Motocross 2014 na classe 450

eli_tomac_450_moto_2_spring_creek_rice_5519_600

 

Eli Tomac viveu uma tarde perfeita neste sábado, 19, em Sprink Creek, pela oitava etapa do AMA Motocross 2014. O piloto Geico Honda venceu as duas baterias da categoria 450 e mostrou que se não fosse a lesão na clavícula no início da temporada, estaria disputando ponto a ponto o título com Ken Roczen e Ryan Dungey.

Na primeira bateria, ele e Roczen protagonizaram um estonteante duelo (veja o vídeo abaixo), relembrando os tempos de 250. Dungey fez o holeshot, seguido de Roczen, que assumiu a liderança ainda na primeira volta, dando pinta de que venceria mais uma. Tomac estava em terceiro e contou com um pequenotombo de Dungey para assumir o segundo posto e iniciar a caça ao alemão.

- Depois que ele me passou, pensei que estava de bom tamanho aquele segundo lugar – disse Roczen após a bateria.

A segunda bateria teve duas largadas, e Tomac saiu na frente as duas vezes – a primeira largada foi cancelada por causa um problema no funcionamento do gate. Na primeira volta, Tomac foi ultrapassado por Justin Brayton, mas logo se recuperou e retomou a ponta. Dungey então assumiu a segunda colocação e ali se manteve até o fim, chegando a ameaçar Tomac um pouco no começo, até cometer um erro e perder segundos preciosos.

:: Melhores momentos

 

:: Largadas

 

:: Roczen X Tomac – 1ª bateria

 

:: Tomac passa Brayton – 2ª bateria

 

:: Resultado da 450 – soma das baterias
1. Eli Tomac (1-1)
2. Ryan Dungey (3-2)
3. Ken Roczen (2-4)
4. Trey Canard (4-3)
5. Josh Grant (5-5)
6. Brett Metcalfe (6-6)
7. Andrew Short (9-7)
8. Weston Peick (8-8)
9. Fredrik Noren (11-10)
10. Matt Goerke (12-11)